terça-feira, 5 de novembro de 2013

Conferência: «Entre o Nilo e a Mesopotâmia. A alvorada do azulejo (4000-400 a.C.)»


Entre o Nilo e a Mesopotâmia. A alvorada do azulejo (4000-400 a.C.)

«Nascido em simultâneo no Egito e no Próximo Oriente, provavelmente antes de 4000 antes da nossa era, o trabalho com materiais vítreos consiste na cozedura da sílica (geralmente areia) e de um fundente, a fim de obter objetos vidrados reluzentes, coloridos com óxidos metálicos. Diversas técnicas – como a faiança siliciosa, a frita, o vidro, a cerâmica vidrada – foram desenvolvidas particularmente no segundo milénio, tornando-se na expressão da civilização internacional no Mediterrâneo oriental. Artesãos especializados fabricam vasos, objetos decorativos, instrumentos para rituais, mobiliário funerário, painéis de decoração arquitetónica. As oficinas reais egípcias dominam uma paleta cromática muito alargada de tons pastel, ao passo que, no Levante, a Mesopotâmia e o mundo Egeu partilham um gosto por objetos idênticos, difundidos por via diplomática, pelos casamentos de príncipes, pelas trocas comerciais ou através dos despojos de guerra. Com os grandes impérios do primeiro milénio, Babilónia, Assur e Pérsia, os artesãos de faiança trabalham ao serviço da ideologia imperial em prol de grandes decorações urbanas. Os contactos com o mundo grego, promovidos pelo comércio fenício (séc. VIII-VI a.C.) e, posteriormente, através das conquistas asiáticas de Alexandre, o Grande (séc. IV a.C.), darão a conhecer estas técnicas milenares ao Ocidente.»

Conferência por Annie Caubet (Conservadora Geral Honorária no Museu do Louvre)

Fundação Calouste Gulbenkian 
4 de novembro, 18h00
Auditório 3

Mais informação aqui.
.

Sem comentários:

Enviar um comentário